FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

 Entenda porque a FUNDAFFEMG é uma autogestão

 A FUNDAFFEMG é uma operadora de autogestão porque está vinculada a uma categoria de profissionais, os associados da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais (AFFEMG). A Fundação, que possui autonomia administrativa e financeira para gerenciar serviços, surgiu de uma iniciativa da própria categoria profissional, em  1985,  com o lema de solidariedade, seguindo o princípio da mútua ajuda, motivo pelo qual o sistema de contribuição é o rateio de despesas entre os beneficiários.  

 

Cuidados com a saúde no inverno

O inverno está aí, e, com a queda da temperatura, os cuidados com a saúde devem dobrar. O clima frio e seco favorece a ocorrência de alergias, infecções virais e doenças dermatológicas. Algumas medidas simples podem evitar ou pelo menos amenizar esses problemas. Conversamos sobre o assunto com a dermatologista Dra. Ana Rosa Magaldi Ribeiro de Oliveira, que recentemente ministrou uma palestra na sede da FUNDAFFEMG, e com a pneumologista Dra. Ângela Pedrosa de Pádua Monteiro. Elas listaram as doenças mais comuns desta estação e deram dicas de como preveni-las.

 Solicite autorizações com antecedência

Para simplificar o atendimento aos beneficiários, autorizações de procedimentos simples, como consultas, exames laboratoriais e algumas terapias são solicitadas diretamente pelos prestadores de serviços. Entretanto, procedimentos mais complexos estão sujeitos a autorização prévia da auditoria técnica da FUNDAFFEMG. 

Quais procedimentos devem ser oferecidos por um plano de saúde?

 

Para entender como funciona a cobertura de um plano de saúde é preciso saber em que segmento ele se encaixa – no caso do FUNDAFFEMG-Saúde, Ambulatorial + Hospitalar com Obstetrícia. Para cada tipo de plano estão previstos procedimentos obrigatórios definidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).Denominada Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, a listagem é revista a cada dois anos para atender critérios científicos comprovados de segurança, eficiência e efetividade no diagnóstico e no tratamento de patologias.

..

Alergia Alimentar


Todos os anos, milhões de pessoas são afetadas pela alergia alimentar, que, de acordo com a Associação Brasileira de Imunologia, atinge 7% da população do país.  Por esse motivo, é preciso ficar atento a essa reação, para tomar as devidas precauções e evitar problemas mais graves.

As alergias alimentares ocorrem quando o sistema imunológico detecta alguma proteína, que ele julga nociva ao corpo, e libera a histamina, substância produzida pelo organismo em resposta à presença de alérgenos, para se proteger. Amendoim, ovos, leite, soja, castanhas, trigo, peixes e crustáceos são alguns dos principais alimentos que provocam a alergia.

Há quem confunda alergia e intolerância alimentar. Entretanto, são condições diferentes. Na intolerância alimentar, o organismo não digere um grupo de alimentos por completo, devido à falta ou à deficiência de enzimas específicas desse processo. Enquanto, na alergia alimentar, há uma reação imunológica imediata, causada pelo anticorpo IgE (imunoglobina IgE), que ocorre logo após a ingestão ou o contato do organismo com determinado alimento.

Quando alguém possui alergia alimentar, o corpo recebe o alimento como inimigo e reage, enviando células de defesa para combatê-lo. Olhos e lábios inchados, tosse, coceira, falta de ar e diarreia são algumas das manifestações do organismo. Em casos mais graves, pode ocorrer o choque anafilático. A anafilaxia é a reação alérgica aguda e súbita, provocada pela hipersensibilidade a uma substância considerada nociva. Nessa situação, o socorro deve ser imediato, pois o paciente corre risco de vida.

Caso apresente algum desses sinais, é importante consultar um especialista o mais rápido possível. Os sintomas ajudarão o médico a concluir o diagnóstico. Testes cutâneos, dosagem de IgE específica, dieta de exclusão e testes de provocação oral são alguns dos exames realizados para identificar se o paciente possui a alergia alimentar.

A prática de dietas específicas e a exclusão do alimento que causa reações são tratamentos eficazes contra a alergia. A ingestão de suplementos probióticos também estimula a função imunológica, reduzindo os riscos de o indivíduo desenvolver a reação. Vitamina B5 e L-glutamina podem ajudar na manutenção intestinal e na defesa do organismo.

 

Informações retiradas dos portais minhavida.com.br e media.rtp.pt

 

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
Rua Sergipe, 893 . Savassi - BH/MG - CEP:30130-171 . Telefone (31)2103-5858