FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

Sinal verde para a segurança no trânsito

A cada ano, acidentes de trânsito matam 1,25 milhão de pessoas em todo mundo, segundo informações da Organização das Nações Unidas (ONU). Por isso, a ONU incluiu, em sua agenda para a prosperidade em 2030, um Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) voltado a reduzir pela metade, até 2020, a taxa de mortes dessa natureza. Infelizmente, o Brasil está longe de alcançar a meta.

 

Viver com saúde na terceira idade

Segundo a Dra. Dóris Diniz Nascimento, geriatra da FUNDAFFFEMG, a qualidade de vida na velhice é sustentada por quatro pilares: alimentação saudável, atividade física regular, equilíbrio emocional/mental e equilíbrio financeiro. “Se o idoso tem esses pilares bem estabelecidos, as limitações físicas comuns do envelhecimento vão ficando para mais tarde”, orienta. Para a especialista, as quatro frentes também são decisivas para proporcionar autonomia às pessoas com mais de 60 anos.

Vamos falar sobre meningite?

A cada caso de meningite noticiado na imprensa, um movimento costuma ser comum: correr para garantir a imunização das crianças. A preocupação é legítima. A doença é grave, demanda internação hospitalar para o tratamento e é mais comum entre os menores de 5 anos. Mas é preciso ter em mente que não há, atualmente, surto (aumento considerável em local específico) de meningite ou epidemia (ocorrência em várias regiões ao mesmo tempo) no Brasil.

Prato cheio de saúde

Qual é a fórmula da saúde? A resposta pode variar nos detalhes, mas sempre passa pela dupla: alimentação saudável e prática regular de exercícios físicos. Adotar esses hábitos pode parecer uma tarefa simples, apesar de muitos brasileiros ainda terem dificuldade em manter uma rotina que faça bem ao corpo e à mente. E é esse um dos fatores que contribuem para que 1 em cada 5 brasileiros moradores de capitais tenha obesidade, como revela uma pesquisa do Ministério da Saúde, realizada em 2017.

..

Cigarro: apague esse vício!


No Brasil, dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que 156 mil mortes relacionadas ao tabagismo são registradas todos os anos. Conheça o Grupo de Apoio à Cessação do Tabagismo Bons Ares, oferecido pelo FUNDAFFEMG, em Belo Horizonte, e histórias inspiradoras de beneficiários que decidiram abandonar o vício.

 

O cigarro é composto por 4.700 substâncias químicas tóxicas e contribui para o aparecimento de aproximadamente 50 doenças, principalmente cardiovasculares e respiratórias obstrutivas crônicas, além de câncer. Estatísticas do INCA mostram que os fumantes possuem um risco dez vezes maior de ter câncer de pulmão, cinco vezes maior de infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar e duas vezes maior de derrames cerebrais.

 

Motivos para parar de fumar não faltam. “É preciso ter força de vontade e determinação”, afirma Thalia do Amaral Silva Mourão, secretária da presidência da AFFEMG e beneficiária do FUNDAFFEMG-Saúde, que fumou durante 35 anos. Em 2008, ela e o marido, Renato Márcio, conheceram o Grupo de Apoio à Cessação do Tabagismo Bons Ares, oferecido pelo Plano, em Belo Horizonte, e decidiram dar o primeiro passo para abandonar o vício. “Começamos as atividades despretensiosamente e hoje percebemos que foi uma escolha acertada. O apoio que recebemos foi fundamental para conseguirmos parar”, diz. O início é a etapa mais difícil. “Sentia muita ansiedade. O medicamento prescrito e as caminhadas longas ajudavam a aliviar”, conta Roberto Borges, Conselheiro Fiscal da FUNDAFFEMG, que fumou durante 30 anos. Ele decidiu parar por saber que o hábito é prejudicial à saúde e conseguiu com a ajuda do Grupo.

 

A lista de conquistas citadas pelos beneficiários após largarem o cigarro é grande. Melhoria do paladar, do olfato e da capacidade aeróbica, além do rejuvenescimento da pele, foram as principais citadas por Thalia. Já Roberto contou que parou de sofrer com inflamações na gengiva.

 

 

 

Grupo de Apoio à Cessação do Tabagismo Bons Ares

O beneficiário fumante interessado em abandonar o vício deve entrar em contato com a FUNDAFFEMG. Ele pode ter acesso a um plano de tratamento personalizado, traçado por clínico geral, pneumologista, psicólogo e assistente social, após exames e avaliações individuais. Caso compareça às consultas propostas, cumpra com as indicações e participe de um grupo de atividade física; a FUNDAFFEMG paga 50% do valor das medicações indicadas.

 

 

 

Se você parar de fumar após...

20 minutos | A pressão sanguínea e pulsação voltam ao normal.

2 horas | Não há mais nicotina no seu sangue.

8 horas | O nível de oxigênio no sangue se normaliza.

2 dias | Seu olfato já percebe melhor os cheiros e seu paladar readquire a capacidade de identificar sabores.

3 semanas |  A respiração fica mais fácil e a circulação melhora. 

5 a 10 anos | O risco de sofrer infarto será igual ao de quem nunca fumou.

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
Rua Sergipe, 893 . Savassi - BH/MG - CEP:30130-171 . Telefone (31)2103-5858