FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

Mamografia: exame que salva vidas

A mulher conta com um aliado na luta contra o câncer de mama. Trata-se do exame, que, dada a sua importância, possui até um dia dedicado a ele: o Dia Nacional da Mamografia, lembrado em 5 de fevereiro. A data foi instituída em 2008 no Brasil para sensibilizar a população sobre o tema. E o alerta é necessário: a cobertura mamográ­fica no país está longe de alcançar os patamares indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A recomendação é que ao menos 70% das mulheres entre 50 e 69 anos realizem periodicamente o exame. Mas, em 2017, apenas 24,1% da população feminina nessa faixa etária fez a mamogra­fia – o pior índice nos últimos cinco anos.

A luta das mulheres está só começando

 

Ser mulher ainda é um desa­fio no Brasil e no mundo. É por isso que a data dedicada a elas, o Dia da Mulher (8 de março), tem se tornado um momento para comemorar avanços, mas também para colocar em pauta os desafios relacionados ao gênero.

Dengue, zika e chikungunya: saiba suas diferenças e como evitar as doenças

Verão é sinônimo de altas temperaturas e grande volume de chuvas, ideais para a proliferação do mosquito urbano que quase todo brasileiro conhece: o Aedes aegypti, causador da dengue, zika e chikungunya. De forma geral, as doenças provocam febre, dores de cabeça e nas articulações, além de enjoo e manchas pelo corpo. Mas há diferenças importantes que influenciam no tratamento de cada uma.

Fique atento: alguns exames e procedimentos demandam autorização prévia

O Carnaval está logo aí. Caso você tenha algum exame ou procedimento a ser realizado neste período e que demande autorização prévia, adiante-se e solicite a autorização para a Fundaffemg até 28/02/2019.

..

Dengue, zika e chikungunya: saiba suas diferenças e como evitar as doenças


Verão é sinônimo de altas temperaturas e grande volume de chuvas, ideais para a proliferação do mosquito urbano que quase todo brasileiro conhece: o Aedes aegypti, causador da dengue, zika e chikungunya. De forma geral, as doenças provocam febre, dores de cabeça e nas articulações, além de enjoo e manchas pelo corpo. Mas há diferenças importantes que influenciam no tratamento de cada uma.

De acordo com o Dr. Estevão Urbano Silva, presidente da Sociedade Mineira de Infectologia e infectologista do Hospital Madre Teresa, os sintomas mais debilitantes costumam aparecer em casos de dengue, enquanto os mais leves estão relacionados à zika. “A febre costuma ser mais alta em casos de dengue. A zika, por sua vez, resulta em um número maior de pacientes com coceira na pele e conjuntivite. E os sintomas articulares são mais comuns na chikungunya”, explica.

As doenças, no entanto, apresentam perigos específicos quando diagnosticadas em suas formas mais graves. A dengue hemorrágica, por exemplo, causa desidratação e hemorragias severas, que podem levar à morte. No caso da zika, o grande risco é que mulheres grávidas transmitam a doença a seus filhos, o que pode resultar em microcefalia nos bebês. Já a chikungunya pode levar ao desenvolvimento de artrite. “Em todos os casos, é essencial que as pessoas evitem a automedicação, que pode aumentar o risco de sangramentos. O paciente deve procurar ajuda médica, seguir a orientação de especialistas e reforçar a hidratação”, orienta o Dr. Estevão.

 

 

Tratamento e prevenção

Ainda não existe vacina antiviral capaz de matar os vírus e levar à remissão das doenças. Por isso, o tratamento busca eliminar os sintomas, por meio de remédios para dor e febre. Caso o paciente apresente sangramentos, a transfusão sanguínea também é indicada. Além disso, hidratação e alimentação saudável durante a convalescença são essenciais para garantir a cura.

Mas o passo mais importante é combater o transmissor das doenças, o mosquito Aedes aegypti. Para isso, é necessário checar regularmente, em casa, se há focos de água limpa e parada em pratos de vasos de plantas e garrafas e se a caixa-d’água está devidamente fechada. Só assim é possível evitar a reprodução do mosquito.

Essa estratégia simples tem feito a diferença. Segundo o Ministério da Saúde, os casos de dengue no Brasil, quando comparados aos do mesmo período do ano anterior, diminuíram 39% em fevereiro de 2018. “Há, ainda, medidas acessórias, como uso de repelentes, principalmente por mulheres grávidas, instalação de telas em janelas e mosquiteiros em berços e camas. Mas o principal é reduzir o foco de reprodução do mosquito”, completa o infectologista.

 

DENGUE

  • Principais sintomas: Febre, dores no corpo, manchas vermelhas na pele
  • Sintoma predominante: Febre alta
  • Principal risco: Dengue hemorrágica, que pode causar desidratação e hemorragia severas.

 

ZIKA

  • Principais sintomas: Febre, dores no corpo, manchas vermelhas na pele.
  • Sintoma predominante: Coceira na pele e olhos com conjuntivite.
  • PRINCIPAL RISCO: Microcefalia em bebês infectados pelo vírus durante a gestação
  •  

CHIKUNGUNYA

  • Principais sintomas: Febre, dores no corpo, manchas vermelhas na pele
  • Sintoma predominante: Dores nas articulações
  • Principal risco: Inflamações nas articulações, que passam a ser um problema crônico.

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
Rua Sergipe, 893 . Savassi - BH/MG - CEP:30130-171 . Telefone (31)2103-5858