FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

Dengue, zika e chikungunya: saiba suas diferenças e como evitar as doenças

Verão é sinônimo de altas temperaturas e grande volume de chuvas, ideais para a proliferação do mosquito urbano que quase todo brasileiro conhece: o Aedes aegypti, causador da dengue, zika e chikungunya. De forma geral, as doenças provocam febre, dores de cabeça e nas articulações, além de enjoo e manchas pelo corpo. Mas há diferenças importantes que influenciam no tratamento de cada uma.

Fique atento: alguns exames e procedimentos demandam autorização prévia

O Carnaval está logo aí. Caso você tenha algum exame ou procedimento a ser realizado neste período e que demande autorização prévia, adiante-se e solicite a autorização para a Fundaffemg até 28/02/2019.

Você conhece as responsabilidades do beneficiário junto à FUNDAFFEMG?

O fornecimento de todas as informações referentes a dados de beneficiários, solicitadas pela Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS), é de responsabilidade da FUNDAFFEMG. Para isso, o beneficiário também deve estar atento e manter sempre atualizados seus dados cadastrais junto à fundação, para que as informações previstas no Sistema de Informações de Beneficiários (SIB) sejam encaminhadas corretamente.


 

Mais recursos no combate ao câncer

O Dia Mundial de Combate ao Câncer (4 de fevereiro) foi instituído pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de chamar atenção para o problema. Nos últimos anos, a medicina evoluiu no tratamento dessa enfermidade. Quais são as novidades mais recentes? Para responder a essa e a outras perguntas, o Jornal da Fundaffemg entrevistou o médico Alexandre Chiari, coordenador do corpo clínico da Oncomed-BH. Acompanhe, a seguir, um resumo da conversa.

..

Hora de dormir irregular pode prejudicar aprendizado na primeira infância


Pesquisa britânica acompanhou 11 mil crianças por sete anos e constatou que a falta de regularidade na hora de ir dormir pode trazer impactos cumulativos no desempenho escolar. Especialistas ressaltam que é importante entender as causas da dificuldade de ir para cama

Publicada em: 24/07/2013

 

A hora de dormir pode ser complicada para muitas famílias com filhos pequenos. A brincadeira está muito boa ou o filme passando na TV ainda não acabou são algumas das desculpas que frequentemente são utilizadas pelos pequenos que se recusam a deitar. No entanto, pesquisadores britânicos deram a pais de todo o mundo mais um motivo para estabelecer uma rotina noturna com seus filhos. Divulgada no início do mês, pelo Journal of Epidemiology and Community Health, a pesquisa realizada por pesquisadores da University College of London identificou que crianças sem um horário regular para dormir podem ter problemas com a aprendizagem.

O estudo acompanhou 11 mil crianças no Reino Unido, submetendo as crianças à testes cognitivos de leitura, matemática e percepção espacial sempre que elas completavam 3, 5 e 7 anos. O resultado constatou que na primeira faixa etária garotos e garotas, de três anos, com horários irregulares de dormir registraram pontuações mais baixas nas três categorias - sugerindo aos pesquisadores que durante essa idade as crianças têm mais sensibilidade cognitiva.

 

A hora de dormir pode ser complicada para muitas famílias com filhos pequenos. A brincadeira está muito boa ou o filme passando na TV ainda não acabou são algumas das desculpas que frequentemente são utilizadas pelos pequenos que se recusam a deitar. No entanto, pesquisadores britânicos deram a pais de todo o mundo mais um motivo para estabelecer uma rotina noturna com seus filhos. Divulgada no início do mês, pelo Journal of Epidemiology and Community Health, a pesquisa realizada por pesquisadores da University College of London identificou que crianças sem um horário regular para dormir podem ter problemas com a aprendizagem.

O estudo acompanhou 11 mil crianças no Reino Unido, submetendo as crianças à testes cognitivos de leitura, matemática e percepção espacial sempre que elas completavam 3, 5 e 7 anos. O resultado constatou que na primeira faixa etária garotos e garotas, de três anos, com horários irregulares de dormir registraram pontuações mais baixas nas três categorias - sugerindo aos pesquisadores que durante essa idade as crianças têm mais sensibilidade cognitiva.

 

Fatores subjetivos
A psicanalista e professora da Faculdade de Educação da UFMG, Ana Lydia Santiago, explica que a dificuldade de fazer as crianças terem uma rotina noturna pode ser causada por uma série de fatores e pode ser muito subjetiva.

Um dos motivos mais comuns é a que, com a rotina atarefada do dia a dia, é geralmente durante a noite que as famílias ficam reunidas. “Em alguns casos, os pais chegam muito tarde em casa e as crianças querem ficar com eles, mas elas têm que ir dormir na hora em que todo mundo está acordado”, comenta.

Uma dica que o presidente da Fundação Nacional do Sono e psiquiatra com especialização em distúrbios do sono Dirceu Valladares dá para que as crianças se adaptem a um horário de dormir é diminuir os estímulos. Segundo ele, o organismo humano precisa de ritmicidade. “Quanto mais você repete mais você desenvolve a habilidade de redução de consumo de energia”, diz.

Criar uma rotina de atividades para o final do dia, por exemplo, ajuda o organismo da criança se adaptar e se preparar para o sono. No entanto, a rotina deve ser adota por toda a família. De acordo com o especialista, criando o clima para a hora de dormir, diminuindo estímulos, como as luzes pela casa, a criança vai se acomodando com a situação de forma rotineira.

 

Outra explicação pode ser o terror noturno. “Muitas crianças enrolam para ir para a cama porque têm medo de dormir ou medo de pesadelos e isso é uma coisa que precisa ser tratada, mas os pais têm que saber identificar. É importante investigar cada caso porque as causas são multifatoriais”, afirma Ana Lydia.

Falta de qualidade e quantidade
Ainda segundo Dirceu Valladares estão surgindo novas síndromes relacionando o tempo de dormir das crianças e a qualidade do sono assim como estudos que sugerem que os horários irregulares de dormir afetam o desenvolvimento delas. “Tanto na criança quanto no adulto, a falta de quantidade e qualidade do sono atrapalham a atividade produtiva, a destreza, a rapidez. Só de dormir duas horas a menos a pessoa já vai ter alterações cognitivas e nos reflexos”, explica.

O médico ressalta que a criança que não dorme direito não vai se desenvolver em plenitude e não fica atenta da forma mais ampla e harmônica. “O hormônio do crescimento é praticamente produzido enquanto a gente dorme, assim como a regeneração do sistema neurológico”, pontua.

 

Fonte: http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2013/07/23/noticia_saudeplena,144053/hora-de-dormir-irregular-pode-prejudicar-aprendizado.shtml

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
Rua Sergipe, 893 . Savassi - BH/MG - CEP:30130-171 . Telefone (31)2103-5858